Cadastre seu WhatsApp e receba as notícias SMC

Notícias > Notícias do dia

Imagem

Um salário-mínimo que só afunda a desigualdade social no país

A proposta do Governo Federal de um novo salário-mínimo de apenas R$ 1.040,00 provocou reação do deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli ao afirmar que novo mínimo sem qualquer ganho real só afunda mais o poço de desigualdade no País. Tem razão o parlamentar paranaense, pois mostra as contradições da equipe econômica do ministro Paulo Guedes (Economia) e a falta de um plano nacional que valorize a relação entre o capital e o trabalho.

Dessa forma, critica Romanelli,  fica cada vez mais difícil vencer o desalento vivido pelo país que vive sem horizonte claro para enfrentar a crise econômica e retomar a criação de empregos. Ele lembra que hoje são mais de 13,4 milhões de brasileiros desempregados e observa  que o novo salário-mínimo nacional será ainda 20,1% e 31% menor do que o piso regional paranaense, em vigor desde fevereiro, que varia entre R$ 1.306,80 e R$ 1.509,20″.

Se comparar ainda, segundo o deputado, com salário mínimo ideal apontado pelo Dieese, de R$ 4.143,55 em julho de 2019, o piso nacional será R$ 3.103,55 menor. “O piso indicado pelo Dieese leva em consideração o valor necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas. Falta ao governo federal, uma política de apoio ao trabalhador”.

“É preciso ficar atentos com essa ‘nova política’ do salário mínimo nacional para evitar que as conquistas alcançadas nos últimos anos, de forma racional e pactuada, não sejam precarizadas na lógica torta dos tecnocratas de plantão. E vale sempre lembrar que o aumento real do salário mínimo nos últimos anos é apontado por especialistas como um dos responsáveis pela queda da pobreza no país”, completa Romanelli.

Fonte:Paraná Portal

Categorias:

Comente esta notícia

Desenvolvido por Agência Confraria