Acesse aqui o Portal dos 101 anos SMC

Palavra do Presidente

É preciso ficar esperto para não perder direitos

Sérgio Butka - Presidente
A PLR é um avanço que foi conquistado com muito suor pelos trabalhadores, principalmente os metalúrgicos da Grande Curitiba. Mesmo que a nossa verdadeira luta seja a busca por mais valorização real e direta dos salários, é inegável  que a PLR é um beneficio que dá um certo alívio à renda dos trabalhadores. Infelizmente, esse parece não ser o mesmo entendimento do governo. Na contramão do progresso, ele continua esticando a mão grande pra cima da PLR do trabalhador, se negando a isentar totalmente a PLR do Imposto de Renda.

Quer dizer, você rala, trabalha, luta para ter essa complementação na sua renda, mas acaba tendo que dar uma boa parte para matar a fome do leão. O mais absurdo é que, enquanto tira sem piedade do trabalhador, o governo beija a mão do grande capital, concedendo milhões em isenções de impostos e outros benefícios fiscais. Enquanto agrada a empresas, a correção da tabela do Imposto de Renda e do índice do FGTS, reivindicações antigas da Força Sindical, continuam congeladas, prejudicando milhares de trabalhadores.

Sabemos que a luta em Brasília para pedir o fim da mordida do leão sobre a PLR é longa. É por isso que, enquanto essa vitória não vem, nós,  metalúrgicos da Grande Curitiba, estamos buscando condições diferentes de negociação para que possamos estar economizando mais em relação a mordida dos impostos nos nossos salários e benefícios. Sabemos que se ficarmos parados assistindo sem fazer nada,  o governo age como as empresas: arrancam até o couro do trabalhador.

É por isso que não devemos baixar a bola, nem para o governo, nem para as empresas. Estas, a cada ano que passa produzem e lucram mais, porém, na hora de remunerar, vem com choradeira e  assédio moral, parando o serviço na fábrica para fazer reuniões com os trabalhadores afim de intimidá-los para a luta.

Devemos tomar muito cuidado e lutar contra  com isso, pois quem abaixa a cabeça agora, corre o risco de ficar recebendo migalhas  no futuro, pondo a perder até importantes direitos já  conquistados.

    Por isso, companheiros e companheiras, devemos ficar sempre de olhos abertos tanto nas empresas daqui, como em Brasília. Queremos sim que as empresas lucrem cada vez mais, que o país se desenvolva cada vez mais, porém, não a custo do sacrifício do trabalhador. Vamos pra luta!

Sérgio Butka
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, da Federação dos Metalúrgicos do Paraná (Fetim) e da Força Sindical do Paraná.
Desenvolvido por Agência Confraria